Corpus Christi | Eucaristia: Deus no meio de nós

Na quinta-feira após o Domingo da Santíssima Trindade, a Igreja celebra a solenidade de Corpus Christi: (lat) “Corpo de Cristo”. Neste dia, os fiéis celebram o sacramento da Eucaristia, a presença real de Jesus em Seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade.

Procissão Eucarística na Canção Nova / Foto: cancaonova.com

Procissão Eucarística na Canção Nova / Foto: cancaonova.com

A Festa tem a sua origem na Europa, a partir do séc. XIII. As comunidades participam da Procissão com Jesus Sacramentado que passeia entre a multidão sobre os tapetes coloridos com símbolos e imagens religiosos. Em diversas partes do mundo, são promovidas Adorações Eucarísticas entre outras celebrações e atividades em louvor ao Santíssimo Sacramento.

Leia mais:
:: Qual a origem da Festa de Corpus Christi?
:: A Eucaristia, sustento para suportar as aflições

O texto abaixo ajuda a refletir sobre a profundidade do Sacramento da Eucaristia:
“Na Santíssima Eucaristia está contido todo tesouro espiritual da Igreja, ou seja, o próprio Cristo. Por isso, o olhar da Santa Igreja volta-se continuamente para o Senhor, presente no sacramento do altar, revelando a todos o seu infinito amor. Verdadeiramente na Eucaristia demonstra-nos um amor levado até o extremo, um amor sem medida. Quando recebemos a Eucaristia, é o próprio Senhor Jesus Cristo que se ofereceu por nós, seu corpo entregue na cruz, seu sangue derramado por muitos para a remissão dos pecados. A Eucaristia é Deus no meio de nós, o Emanuel, Deus conosco. A fé da Igreja é esta: que um só e o mesmo é o Verbo de Deus e o Filho de Maria, que sofreu na Cruz, que está presente na Eucaristia, e que reina no Céu. Jesus Eucarístico está entre nós como um irmão, como um amigo, como esposo de nossas almas, Ele deseja vir a cada um de nós para ser o nosso alimento de vida eterna, o nosso amor, o nosso remédio e sustento, a sua vontade é ser um só conosco para ser o nosso Redentor e Salvador, para nos levar ao Reino dos Céus.
Como Santo Agostinho exclama: ‘Sendo Deus onipotente, não pode dar mais, sendo sapientíssimo, não soube dar mais, e sendo riquíssimo, não teve mais o que dar’.
É preciso aproximar da Santa Eucaristia com um coração puro e ardente, como os santos e cuidar para não tornar uma alma tíbia e descuidada.
Termino com a frase de São Pedro Julião Eymard: ‘A Eucaristia é a suprema manifestação do amor de Jesus, depois dela nada há mais senão o Céu’.
Contudo, quantos de nós, cristãos, ainda ignoramos a imensa grandeza do amor que está encerrado na Eucaristia.”

Ricardo Ida
Missionário da Comunidade Canção Nova