HOMENAGEM

Uma vida em devoção a Nossa Senhora

Monsenhor Jonas Abib sempre cultivou, ao longo de sua vida, uma intensa devoção a Virgem Maria

Primeiramente, podemos destacar que tal devoção já é um dado da sua infância, porque padre Jonas foi enriquecido pelo carisma de São João Bosco. Inclusive no momento de seu parto, quando sua mãe Josepha pediu a intercessão de Dom Bosco, pois enfrentava sérias dificuldades para o nascimento de seu filho Jonas.

Obviamente, Dom Bosco traz consigo o testemunho e a intercessão de Nossa Senhora Auxiliadora dos Cristãos, por quem cultivava uma devoção profunda. Por conta disso, padre Jonas, já com seus 13 anos de idade, no seminário salesiano, no Colégio São Manoel, em Lavrinhas (SP), fez a sua entrega, fez a sua consagração a Nossa Senhora Auxiliadora.

 

Quando fundou a Comunidade Canção Nova, em 1978, padre Jonas consagrou a Canção Nova a Nossa Senhora, tanto assim que ele dizia: “A Canção Nova é a Casa de Maria”. Casa no sentido de família, de estirpe, de raça. Nós somos da raça de Nossa Senhora, a Virgem Maria.

Com isso, padre Jonas sempre quis que os membros da Canção Nova aprendessem com Maria a servir, a seguir Jesus, adorar Jesus, a colocar a própria vida à disposição da obra redentora de Cristo. Tudo isso fala da devoção que padre Jonas tinha com relação a Nossa Senhora.

Ele também costumava dizer: “Na Canção Nova, tudo foi ela quem fez!”. Eu me recordo que padre Jonas, sempre que precisava da confirmação ou do alcance de alguma graça de Deus para a comunidade, recorria a essa devoção. Ele lançava a medalhinha milagrosa de Nossa Senhora das Graças sobre terrenos, casas, lojas, emissoras de rádio, geradoras e retransmissoras de televisão, pedindo com fé a intercessão de Maria e, por muitas vezes, ele recebia as graças de Deus por intercessão da Mãe de Jesus.

Gostaria de recordar ainda quando, no dia 11 de maio de 2004, na capelinha das aparições de Nossa Senhora de Fátima, padre Jonas recitou uma oração de consagração da Comunidade Canção Nova e da TV Canção Nova ao Imaculado Coração de Maria, em Fátima, Portugal.

Em sua rotina, toda noite, padre Jonas rezava o terço em sua casa, mas também rezava nas viagens, nos passeios. Através da oração do Santo Rosário, ele cultivava o amor a Virgem Santíssima. Nesses últimos meses da sua internação, de toda luta que viveu em relação à recuperação de sua saúde, por conta do tratamento do mieloma, padre Jonas chegou a um ponto que fez uma oração de entrega a Nossa Senhora, pedindo que Ela cuidasse dele nesse momento de dor, de sofrimento.

E o fato dele ter falecido exatamente no dia 12 de dezembro, quando nós da Igreja na América Latina celebramos a festa de Nossa Senhora de Guadalupe, é uma grande confirmação do seu amor a Nossa Senhora e um sinal de que Nossa Senhora o levou para participar da alegria dos justos de Deus.