VIVER A FÉ

Não sejamos indiferentes a Deus!

Graças e louvores sejam dados a todo o momento!

Começamos o programa de hoje com este sentimento de paz, alegria e esperança. Hoje é quinta-feira, e temos o costume de recordar o mistério de Jesus Sacramentado na Eucaristia. É um dia especial de voltarmos devotamente para este sacramento, justamente porque Jesus, num dia como o de hoje, instituiu a Eucaristia.

Meditaremos, juntos, o Evangelho de hoje: Lc 13,31-35

Naquela hora, alguns fariseus aproximaram-se e disseram a Jesus: “Tu deves ir embora daqui, porque Herodes quer te matar”. Jesus disse: “Ide dizer a essa raposa: eu expulso demônios e faço curas hoje e amanhã; e no terceiro dia terminarei o meu trabalho. Entretanto, preciso caminhar hoje, amanhã e depois de amanhã, porque não convém que um profeta morra fora de Jerusalém.

Jerusalém, Jerusalém! Tu que matas os profetas e apedrejas os que te foram enviados! Quantas vezes eu quis reunir teus filhos, como a galinha reúne os pintinhos debaixo das asas, mas tu não quiseste! Eis que vossa casa ficará abandonada. Eu vos digo: não me vereis mais, até que chegue o tempo em que vós mesmos direis: Bendito aquele que vem em nome do Senhor!”.

Em várias ocasiões no Evangelho Jesus anunciou o cumprimento da Sua missão como Messias por meio da Sua Páscoa, Morte e Ressurreição. Deixou claro que Ele deveria cumprir Sua missão dessa forma. É este mistério que nós celebramos na Eucaristia. 

Quantas vezes, meus amados irmãos, nós não acolhemos este mesmo Jesus que se entregou e morreu por nós? Talvez, nós conheçamos pessoas que são totalmente indiferentes a Deus e não vivem a sua fé. O convite é de confiarmos essas pessoas ao Pai das Misericórdias.

Assista, na íntegra, ao programa: “Oração ao Pai das Misericórdias”:

https://youtu.be/nnLgnhq6iAM

Rezemos juntos a “Oração ao Pai das Misericórdias”

Pai das Misericórdias e Deus de toda consolação, ouvi a súplica confiante que Vos apresentamos neste momento (fazer o pedido).

Acolhei este povo que vem, cheio de fé e esperança, ao Vosso Santuário. Consolai os aflitos, socorrei os necessitados, enxugai as lágrimas aqui derramadas. Amparai os fracos e recebei em Vossos braços paternos este filho pródigo que volta para Vós. Dai-nos a graça de sermos instrumentos da Vossa misericórdia na vida dos nossos irmãos, para que, assim, o Vosso nome seja amado em nossa família e em nossa nação. Tudo isso Vos pedimos por Vosso Filho Jesus Cristo, que convosco vive e reina na unidade do Espírito Santo. Amém.

Pai das Misericórdias e Deus de toda consolação, ouvi-nos!