PADRE WAGNER

O bem sempre deve prevalecer

Que bom nos encontrarmos aqui novamente! Unidos a Cristo e em Sua Palavra, busquemos ser nutridos por ela neste dia.

Vamos meditar o seguinte trecho da Sagrada Escritura: Lc 13,18-21

Então, Jesus perguntou: “Com que se parece o Reino de Deus? Com que o compararei? É como um grão de mostarda que um homem semeou em sua horta. Ele cresceu e se tornou uma árvore, e as aves do céu fizeram ninhos em seus ramos”. Mais uma vez ele perguntou: “A que compararei o Reino de Deus? É como o fermento que uma mulher misturou com uma grande quantidade de farinha, e toda a massa ficou fermentada”.

Aqueles que já tiveram a graça de peregrinar na Terra Santa já devem ter visto a semente de mostarda. Essa semente, costumeiramente, é distribuída pelos guias locais durante as visitas aos lugares santos. Elas se assemelham a grãos de areias, pois são muito pequenas. Aos contar essa parábola sobre o Reino de Deus, Jesus recorda que essa semente de mostarda é a menor do que todas as outras sementes, mas, uma vez semeada, ela se torna uma árvore frondosa.  

É comum pensarmos, nesses dias das calamidades mundiais, que o mal tem prevalecido e se espalhado por todos os lugares, por isso somos incapazes de perceber as maravilhas de Deus e a ação d’Ele em nossa vida. A nossa tendência limitada é dizer que o mal tem nos vencido.

Diante do Evangelho de hoje, Jesus nos convida a confiarmos na força e na potência do Reino de Deus. Pode até parecer que o Reino não tem se manifestado, mas ele se manifesta sim, e de maneira maravilhosa! O convite que fica é para crermos, a fim de que possamos acreditar nos ensinamentos de Jesus. 

Assista, na íntegra, ao programa: “Oração ao Pai das Misericórdias”:

https://youtu.be/kZ9wqywdLLQ

Rezemos, juntos, a “Oração ao Pai das Misericórdias”

Pai das Misericórdias e Deus de toda consolação, ouvi a súplica confiante que Vos apresentamos neste momento (fazer o pedido).

Acolhei este povo que vem, cheio de fé e esperança, ao Vosso Santuário. Consolai os aflitos, socorrei os necessitados, enxugai as lágrimas aqui derramadas. Amparai os fracos e recebei em Vossos braços paternos este filho pródigo que volta para Vós. Dai-nos a graça de sermos instrumentos da Vossa misericórdia na vida dos nossos irmãos, para que, assim, o Vosso nome seja amado em nossa família e em nossa nação. Tudo isso Vos pedimos por Vosso Filho Jesus Cristo, que convosco vive e reina na unidade do Espírito Santo. Amém.

Pai das Misericórdias e Deus de toda consolação, ouvi-nos!