Santuário

Batizados e enviados em missão

O Sacramento do batismo cristão nos insere no Corpo de Cristo, a Igreja. Toda pessoa que se converte, que adere ao Cristo recebe o batismo e participa do grande mistério, ser membro do Corpo de Cristo. “Mas e as crianças que foram batizadas, como elas aderiram ao Cristo?”. As crianças são batizadas na fé dos pais e padrinhos, e elas devem ser acompanhadas para que respondam ao sacramento que receberam. 

O batizado se torna membro da Igreja, Corpo de Cristo, e o Catecismo da Igreja Católica já nos ensina que “os sacramentos estão para o serviço da comunhão e da missão dos fiéis” (n. 1211). Todos os sacramentos e, claro, o batismo insere o fiel também no serviço da comunhão.

“Quem não renascer da água e do Espírito Santo, não pode entrar no reino de Deus” (Jo 3,5). | Foto: Arquivo/CN

O batismo não se trata apenas de um “diploma”, de uma “honra ao mérito” ou de um simples evento social. O batismo torna a pessoa membro do Corpo de Cristo e a coloca ao serviço da Igreja. Por esse sacramento a pessoa deve se colocar ao serviço da Igreja. Quantos serviços possuem a Igreja e na Igreja? Diversos, como liturgia, catequese, pastoral social etc.

:: Faz diferença ser batizado ou não?

A pessoa batizada deve se sentir impelida a viver a missão de testemunhar Jesus Cristo nas diversas realidades da Igreja e do mundo. É bom deixar isto claro: o batizado é enviado ao serviço na Igreja e no mundo, e não trabalhar para o mundo, e sim trabalhar no mundo para Deus.

Jesus disse no evangelho “Ide e fazei discípulos meus todas as nações, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28,19). Como batizados temos uma missão, somos gratos a Deus porque Ele nos acolheu, nos perdoa, nos ama, mas nossa gratidão deve ser transformar em serviço de amor/evangelizador. Somos batizados e enviados a viver nosso batismo, somos cristãos, ou seja, devemos imitar Jesus Cristo, levando Ele, a Salvação, e sendo presença d’Ele onde quer que estejamos. Somos chamados a continuar a missão do Senhor de consolar corações, de quebrar as correntes da escravidão, de levar a cura da alma e física. Como batizados devemos levar esperança e misericórdia. 

“Ide e fazei discípulos meus todas as nações, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”

Enfim, nossa missão é árdua, muitas vezes, humilhante e sem recompensas neste mundo, mas tenhamos a certeza de que se passarmos por humilhações e  perseguições por causa de Cristo, teremos a nossa recompensa no Céu. Que o Pai das Misericórdias nos ajude a viver o batismo, viver a missão de ser “outro Cristo” e a fazer um caminho de santidade atraindo muitas pessoas para Ele. 

 

Padre Márcio Prado
Vice-Reitor do Santuário do Pai das Misericórdias