A Cruz de Cristo é um chamado a conversão

Inicia-se hoje o Tríduo e Festa da Exaltação da Santa Cruz e na Santa Missa o Padre Márcio, vice reitor do Santuário, falo que a Cruz de Cristo é um chamado a conversão.

“Queridos filhos e filhas do Pai das Misericórdias

Estamos em festa porque a construção foi acontecendo e no dia 14 de setembro de 2011 por providência de Deus foi erguida a cruz no alto do Santuário.

O tema que escolhemos para esses dias é: “Da Cruz de Cristo a salvação!”

rosto cruzÉ da Cruz de Cristo que veio a nossa salvação. E nós queremos tomar a cruz cada dia e seguir o Senhor. É um chamado à conversão, um caminho que percorremos de conversão ate chegar ao céu.

Aqui no Santuário retratamos esse caminho, o filho pródigo fez esse caminho de retorno aos braços do Pai. O Pai que nos amou tanto que deu seu Filho único, e esse Filho por nós morreu na Cruz, mas não acabou ali. Não, Ele Ressuscitou. Por isso a cruz não é mais um sinal de condenação, de derrota e maldição, não é mais um sinal ruim, é um sinal de que Deus no ama, é sinal de salvação. Então, devemos olhar pra Cruz e ver a vitória de Deus e ver como o Senhor nos ama, e acredita em nós, mesmo sendo como somos, pecadores.

O Catecismo da Igreja Católica vai nos ensinar no número 571. “O mistério pascal da cruz e ressurreição de Cristo está no centro da Boa-Nova que os Apóstolos, e depois deles a Igreja, devem anunciar ao mundo. O desígnio salvífico de Deus cumpriu-se de «una vez por todas» (Heb 9, 26) pela morte redentora do seu Filho Jesus Cristo.”

Nós anunciamos a Cruz, Nós somos a Igreja da Cruz e devemos tomá-la a cada dia não como maldição nem peso mas como uma bênção, uma graça de Deus. Pois Jesus tomou-a e morreu para nos salvar e todos aqueles que vieram depois dele também tomaram a cru; os nossos santos, leigos engajados e tantos santos que sofreram pela causa de Cristo, deram sua vida, derramaram seu sangue e quando olhavam para o Crucificado a dor era aliviada.

Nessa nossa caminhada de dor, sofrimento e cruz devemos vivê-la com esperança, nesse caminho de perseverança e de conversão a cruz passa a ser vida.

O Evangelho de hoje diz daquele que deve se corrigir: “não adianta eu querer tirar um cisto no olho do outro se tenho uma trave no meu.” O que é um cisto, o que é uma trave? é um madeiro. Devo olhar pra mim, olhar para o meu interior. Quais os meus pecados, o que tem me afastado de Deus e dos meus irmãos, são os meus pecados, tirar o madeiro que tem me atrapalhado e colocar o madeiro da cruz.

Nosso Senhor nos convida nesses dias de festa a trocar esse madeiro a fazer esse caminho de conversão, reconhecer que eu não sou tão bom assim, que eu tenho uma trave em mim e preciso tomar a Cruz de Cristo e tirar o madeiro da indiferença que machuca meu irmão, tirar a trave que há em mim para ajudar aquele que está ao meu lado.

Essa cruz deve me fazer reconhecer que sou fraco e pecador mais ao mesmo tempo me lembrar que Ele morreu para me salvar. Sou alvo da Misericórdia de Deus. Jesus não mereceu passar o que passou, mas o fez por amor.

Muitos dizem: “essa pessoa, essa situação, esse trabalho é uma cruz para mim”, não veja como um peso mas como providência de Deus para te salvar.

Queremos nessa liturgia fazer esse caminho de conversão e ressignificar a Cruz, pois é para a nossa salvação. Parece estranho mas: “bendita a doença, bendita pessoa que esta ao meu lado, bendito trabalho que eu fui arrumar”. Vamos fazer hoje uma revisão de vida e trocar essa trave de maldição que atrapalha, pelo Madeiro da Cruz.

Santa Rosa de Lima vai nos ensinar que “Fora da Cruz não existe outra escada por onde subir aos céus.”

Vamos rezar: “Por todas as situações difíceis que vivemos de Cruz, tudo o que temos passado é uma bênção para nossa salvação, obrigado Senhor.”

Veja as leituras do dia

 

Saiba mais sobre a Exaltação da Santa Cruz

I Festa Exaltação da Santa Cruz no Santuário - convite