🙏🏼 Fé

Testemunho: "Nosso milagre do Pai das Misericórdias"

“Veio uma gravidez completamente sem planejamento”

Meu nome é Flávia e sou a esposa do Wendell. Hoje, nós temos a nossa bebê: Ísis, o nosso milagre do Pai das Misericórdias. Quero relatar o milagre que o Pai, em sua infinita misericórdia, proporcionou para nós.

Em 9 de agosto de 2018, há exatos 4 dias após o meu aniversário, meu pai veio a falecer por conta de um infarto. Fiquei muito mal e ali já iniciei um passo depressivo. Porém, Deus sempre sabe de todas as coisas. E, no início de novembro de 2018, veio a surpresa de uma gravidez completamente sem planejamento. 

testemunho do milagre

“Veio a surpresa de uma gravidez completamente sem planejamento” | Foto: Daniel Mafra / cancaonova.com

Então, iniciou-se as preocupações, choro, medo, desespero, insegurança e todos aqueles sentimentos que o inimigo planta em nós na tentativa de falharmos na fé. Desde quando engravidei, passei a ter muitas cólicas, sintoma que nunca tive na vida, e foi por conta dessas cólicas que desconfiei da gravidez. E, com 11 semanas, tive cólicas muito intensas, então, por volta das 12h, no trabalho, comecei a sangrar. Início de aborto. Que desespero! Muito remédio e repouso.

Missa no Santuário

Devido a alguns compromissos, decidimos que seria melhor que eu ficasse na casa da minha mãe. Na casa dela é Canção Nova 24h por dia, graças a Deus. Naquele mesmo dia, eu e minha mãe fomos dormir e, por coincidência, estava sendo transmitido a Missa do Santuário do Pai das Misericórdias… Aquele dia fui dormir chorando muito e, em meio ao choro, supliquei ao Pai das Misericórdias que ajudasse, se fosse da vontade d’Ele, que eu conseguisse seguir com a gestação e que Ele permitisse que, ao menos, conhecesse a nossa bebê, Ísis. Os sofrimentos daqueles dias foram adiados e, semanas depois, por volta das 23 semanas de gestação, entrei em trabalho de parto prematuro. Fiquei internada e obrigada a fazer repouso absoluto por alguns dias. No entanto, para a glória de Deus, consegui seguir até as 32 semanas, em que tive mais um início de parto prematuro. Porém, Deus é sempre bom e não permite que o inimigo derrube aqueles que Ele escolheu.

“Assim, as pessoas tenham conhecimento das graças do Senhor, pois devemos apenas confiar e esperar n’Ele.”

No dia 11 de julho, senti muita dor nas costas na parte inferior do quadril. Durante a noite, sozinha em casa, andava por todo lado, inquieta, e a bebê quase nem mexia. Quando deram 2h da madrugada, do dia 12 de julho, foi a última mexida dela que consegui sentir. Ainda assim esperei até às 5h e tomei um copo de café com leite; depois, esperei até às 7h e nada da bebê mexer, então, liguei para o meu irmão chorando. Ele, o quanto mais rápido, levou o carro para a nossa irmã, então, ela foi me buscar e fomos para o hospital. Lá me deram soro com glicose e fizeram alguns exames. O plantonista apenas disse que o coração da bebê estava batendo e que era para procurar o meu médico.

O milagre

Naquele mesmo dia, consegui uma consulta com o meu médico e expliquei tudo o que havia acontecido. Então, ele disse: “Vamos para o hospital! Você está em trabalho de parto”. Tivemos algumas intercorrências; mas, graças ao Pai, Ísis nasceu às 20h56, do dia 12 de julho, pesando 2,992kg e  medindo 47cm, com as mãozinhas e pezinhos roxos por ter engolido líquido. Contudo, com a bênção de Deus, ela veio uma bebê linda e saudável.

:: Conversão no tempo da Ressurreição

E, como agradecimento pela graça alcançada, que pedi com fé ao Pai na primeira vez que quase a perdi, eu disse que daria meu testemunho na festa do Pai das Misericórdias, em público, para que, assim, as pessoas tenham conhecimento das graças do Senhor, pois devemos apenas confiar e esperar n’Ele.

Flávia Aparecida da Silva Constantini
Amparo (SP)