⛪ Igreja

Sacramentos e sacramentais: qual é a diferença?

Você sabe qual é a diferença entre Sacramentos e sacramentais? Talvez, você tenha dificuldade em definir essa diferença, mas, na prática, fica muito fácil saber o que é um Sacramento e o que é um sacramento. Neste artigo, iremos ver o que é cada um e quais suas particularidades.

A definição e eficácia do Sacramento

A definição que o Catecismo da Igreja Católica (CIC) apresenta sobre sacramento é este: “Os sacramentos são sinais eficazes da graça, instituídos por Cristo e confiados à Igreja, por meio dos quais nos é dispensada a vida divina” (1131). Ou seja, são os meios pelos quais a graça de Deus nos alcança, sendo os sacramentos perceptíveis aos sentidos. A exemplo temos: o sacramento do Batismo que acontece com o uso da água e das palavras batismais “eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. Temos também a Eucaristia, que acontece por meio do pão e do vinho que pelas palavras do sacerdote são transformadas em Corpo e Sangue de Cristo. Assim, a Igreja Católica professa a existência de sete sacramentos, além dos dois já falados, temos: a Crisma, a Penitência, a Unção dos Enfermos, a Ordem e Matrimônio.

É importante saber que os sacramentos são eficazes porque neles age o próprio Cristo; é Cristo que batiza, ele atua nos sacramentos. Quando o sacramento é celebrado conforme a intenção da Igreja, o poder de Deus atua nele e a eficácia independe da santidade do ministro que o confere. Porém, os frutos irão depender da disposição de quem os recebe (cf. CIC 1129).

Os sacramentos são destinados à santificação do homem, à edificação do Corpo de Cristo e ao culto prestado a Deus. E como fim último, a Páscoa do Filho de Deus, aquela que pela morte, o fez entrar no Reino. Realizando-se na vida do cristão, o que ele mesmo professa: “Espero a ressurreição dos mortos e a vida do mundo que há de vir” (cf. CIC 1680).

Foto: Arquivo/cancaonova.com

Os sacramentais e sua missão

O Catecismo vai definir sacramentos como: “os sinais sagrados instituídos pela Igreja, cujo objetivo é preparar os homens para receber o fruto dos sacramentos e santificar as diferentes circunstâncias da vida” (1677). Os sacramentais servem para a santificação de certos ministérios, assim como de estados de vida e de momentos variados no dia a dia do cristão, como o uso das coisas que são úteis ao homem.

A diferença entre o sacramento é que o sacramental não confere a graça do Espírito Santo como acontece no sacramentos, mas pela oração da Igreja, eles preparam para o recebimento da graça (cf. CIC 1670). Entre os vários sacramentais, em primeiro lugar estão as bênçãos, que podem ser de pessoas, da mesa, de objetos e lugares. O número de sacramentais é enorme, por exemplo, alguns objetos desde que sejam abençoados: cruzes, imagens e estampas de santos, água, sal, óleo, dentre tantas outras coisas.

Os sacramentais são instituídos como dito antes pela Igreja. São realizados sempre pela imposição das mãos, uma oração, o sinal da cruz ou aspersão com água benta que relembra o Batismo (cf. CIC 1668).

Por fim, é importante lembrar que os sacramentais são instrumentos que auxiliam o cristão na vida espiritual. Não devem ser usados erroneamente como superstição ou algo mágico, não! Eles são “extensões” dos sete sacramentos e podem nos acompanhar literalmente em todas as horas do nosso dia.

Fábio Nunes
Seminarista da Canção Nova

Fontes:
CATECISMO da Igreja Católica. São Paulo: Loyola, 2000.