Doce hóspede da alma

Na quinta-feira, 21, Vagner Baia, padre da Comunidade Canção Nova, citou o Espírito Santo como o Doce Hóspede da alma. Essas palavras foram proferidas durante homilia no Santuário do Pai das Misericórdias.

O sacerdote iniciou sua pregação dizendo que, no momento da fecundação, recebemos a alma e o Espírito de Deus. “O Senhor já participa da nossa vida desde o ventre materno, não no batismo, pois este é uma imersão na graça, do homem que aceita ser filho amado de Deus.

Estamos no mundo, mas podemos não viver como filhos do Senhor. Na fecundação, o ventre se torna o lugar da morada de Deus; no batismo, assumimos nossa filiação. Nossos pais, em favor da educação, da promessa que fizeram no casamento, já nos inseriram, entregaram-nos como pertença a Deus; mas precisamos dar passos na fé, para que nos remodelemos”.

Citando o Livro ‘Vem, Espírito Criador!’ – meditações sobre o Veni Creator, de Raniero Cantalamessa –, padre Vagner nos ensina: “O Espírito Santo não é apenas algo, mas alguém que permanece em nós; Ele é uma presença, um intelector, um defensor, um amigo da nossa vida, um doce hóspede da alma, aquele que foi o companheiro inseparável de Jesus; e agora quer sê-lo em cada um de nós. Tudo se dá pelo Espírito Santo”.

Ao fim da celebração, o sacerdote convida os fiéis a serem como as almas que permitam ao Doce Hóspede habitar em cada um.

Pai, aqueles que me deste, quero que estejam comigo onde eu estiver, para que eles contemplem a minha glória, glória que tu me deste porque me amaste antes da fundação do universo. Pai justo, o mundo não te conheceu, mas eu te conheci, e estes também conheceram que tu me enviaste. (Jo 17,24-25)

As leituras do dia 21 aqui

Primeira Leitura (At 22,30; 23,6-11)

Responsório (Sl 15)

Evangelho (Jo 17,20-26)