Transformar o veneno em bênçãos.

O sacerdote da Canção nova, Wagner Baia disse hoje em homilia, na Celebração da Santa Missa no santuário do Pai das Misericórdias que devemos transformar o veneno das palavras em bençãos.

Dando exemplo de uma cabeleireira que em vez de difundir a fofoca no seu salão rezava e levava palavras de bênçãos aos clientes. E concluiu dizendo que quem envenena a vida do outro é o demônio.

Homens, que estais fazendo? Nós também somos homens mortais como vós, e vos estamos anunciando que precisais deixar esses ídolos inúteis para vos converterdes ao Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles existe. Nas gerações passadas, Deus permitiu que todas as nações seguissem o próprio caminho. No entanto, ele não deixou de dar testemunho de si mesmo através de seus benefícios, mandando do céu chuvas e colheitas, dando alimento e alegrando vossos corações”. E assim falando, com muito custo, conseguiram que a multidão desistisse de lhes oferecer um sacrifício”. (Jo 14,15-18)

Leituras do dia

Primeira Leitura (At 14,5-18)

Responsório (Sl 113b)

Evangelho (Jo 14,21-26)