E agora?

Não me sinto bem no Natal

Têm sido muito comum escutar das pessoas que não se sentem bem no Natal, sentem uma tristeza e uma grande solidão. Se você se sente assim ou conhece alguém assim, quero propor um caminho para mudança desse quadro.

Para mudar isso, gostaria de lhe propor um retorno ao verdadeiro sentido do Natal. O Natal não é apenas um feriado, um dia de descanso, um dia ter uma mesa farta de comidas e bebidas ou um dia de distribuir presentes.

Más recordações

Pois, apesar de tantas ocupações com: comidas, bebidas e presentes, apesar do encontro com tanta gente, muitos se sentem vazios, por quê? No Natal parece que muita gente faz memória das coisas ruins que aconteceram no ano como: um relacionamento acabado, a morte de um parente, de um amigo ou algo que não deu certo.

Será que você se enquadrou com algo dito acima? Então, te convido a mudar o foco: não olhe para as coisas ruins que aconteceram, não olhe para as derrotas, não se entregue à tristeza.

Olhe para o Natal verdadeiro, olhe para o presépio, olhe para Jesus Menino. Ao olhar para o presépio, ao escutar a narrativa do nascimento de Jesus, com certeza você poderá se identificar com o primeiro Natal.

Sentimento de rejeição

A família de Nazaré foi para Belém, não estavam em casa, quantas vezes não nos sentimos em casa? A família de Nazaré buscou hospedagem, mas não encontraram (cf. Lc 2,7), quantas vezes buscamos um lugar ou uma pessoa que nos acolha e somos rejeitados? Sem casa, rejeitados e, ainda, na noite fria do deserto.

Será que você se identifica com o primeiro Natal? Sem casa, rejeitado, frieza das pessoas?

Mas o Salvador estava para nascer, então, José e Maria estavam cansados, possivelmente tristes pela frieza das pessoas a quem pediam ajuda. Porém, a Alegria do mundo iria nascer, o Salvador estava para chegar. Como desanimar se o Salvador está para chegar? Por que desanimar se a Luz do mundo está prestes a iluminar as trevas? Então, José e Maria recobraram as forças Ele está chegando! Ele vem!

É possível alegrar-se

Ele nasceu! Já não importava mais o local, se era frio ou quente, se era um palácio ou uma gruta, Jesus Cristo nasceu, o Salvador chegou! A alegria se faz presente não pelas condições climáticas ou pelo berço de ouro, não pela mesa farta, mas a alegria verdadeira chegou porque chegou Jesus, o Emanuel “Deus conosco” (cf. Is 7,14).

Mesmo em meio às adversidades, é Natal! É Jesus, é Deus conosco! Não importa mais as condições exteriores, a alegria vem de dentro, Ele nasceu em Belém e quer novamente nascer dentro de nós.

Permita que o verdadeiro Natal aconteça, não se entregue à tristeza (cf. Eclo 30,22), não se entregue às más lembranças, contudo, que Ele nasça na manjedoura do seu coração. Sim, seu coração pobre, pecador, triste, frio… Mas coloque as palhas do desejo de melhorar, de ser santo, coloque as palhas da fé, volte a crer ou creia e, então, Ele nasce.

Convido você a parar um pouco e fazer sua oração, diga para Jesus que você o acolhe no seu coração, diga a Jesus que você queria estar melhor, mas que agora você se dispõe a recebê-Lo. Continue sua oração por 5 a 10 minutos.

Amém! Jesus seja bem-vindo!

Padre Márcio Prado 

Vice-reitor do Santuário do Pai das Misericórdias