GRATIDÃO

Do encontro com Deus à doação de uma vida missionária

Neste mês de outubro, mês missionário, a equipe de Comunicação do Santuário do Pai das Misericórdias tem buscado ouvir membros da Comunidade Canção Nova sobre suas experiências missionárias no Brasil e no exterior. Vidas que tiveram um encontro com o amor do Pai e hoje se colocam a serviço para que mais e mais pessoas façam a mesma experiência.

Hoje vamos conhecer Deividson Francisco, que mora na sede da Canção Nova em Cachoeira Paulista, SP, e Liliane Borges, que vive com a família na casa de missão de Fátima, Portugal, onde exerce sua missionariedade.

Locutor da evangelização

Deividson Francisco é missionário da Comunidade Canção Nova há 12 anos e hoje atua na Rádio Canção Nova. Entrou na Comunidade como solteiro e hoje é casado e espera sua primeira filha, a Geovana. ‘’Ser missionário é estar disponível a Deus, numa oferta de vida a favor da evangelização. É estar ao lado de Deus, compartilhar com Ele a mesma missão em favor da implantação do Reino’’.

Sentiu o chamado a ser um cristão mais fervoroso há 23 anos, desde seu encontro pessoal com Cristo, no Rebanhão em Betim-MG. Dali em diante começou a se engajar nas atividades da Igreja: pastorais, encontros, liturgia, grupo de jovens e sempre queria mais, até que percebeu o desejo de uma vida totalmente dedicada a Deus, à missão.

Antes de entrar para a Canção Nova Deividson foi seminarista. Relata que foi toda uma adaptação a vida comunitária, o viver longe da família, vencer os medos e a timidez. “Mas fui superando tudo, com a graça de Deus”, relata.

“A jornada para aqueles que se entregam ao Senhor não é fácil, por isso é preciso coragem para dar este passo e, prostrando-se diante Dele, lhe perguntar: ‘Senhor, o que queres de mim, o que posso fazer para a construção do Teu Reino? Senhor mostra-me o caminho, ilumina meus passos. Ajude-me a encontrar o meu lugar no mundo e na Igreja’’’.

Deividson Francisco e sua esposa Catarina Jatobá, ambos missionários da Comunidade Canção Nova. Foto: arquivo pessoal

Deividson aconselha àqueles que estão sentindo o chamado a uma vida consagrada a procurar a ajuda de um sacerdote ou de um diretor espiritual, para este chamado se tornar mais claro. “Os medos, as incertezas farão parte, mas a alegria de doar a vida a Deus e ao próximo supera tudo’’, relata.

“Porque todas as promessas de Deus são “sim” em Jesus. Por isso, é por ele que nós dizemos Amém à glória de Deus. Ora, quem nos confirma a nós e a vós em Cristo, e nos consagrou, é Deus. Ele nos marcou com o seu selo e deu aos nossos corações o penhor do Espírito.” (II Cor 1, 20-22)

Nas terras da Virgem de Fátima

Liliane Borges é jornalista, missionária da Canção Nova, casada e tem dois filhos. Vive hoje na missão de Fátima, Portugal. Ela relata que missão é um chamado, um desejo, um Deus que chama e separa para si aqueles que Ele quer para um trabalho específico. “E foi ao longo do tempo que fui descobrindo que eu era chamada por Deus a evangelizar, depois de ter feito uma experiência do amor D’Ele. Pois quem faz essa experiência deseja compartilhar com alguém e era isso que eu sentia, via Deus me conduzindo para algo bem específico que era a vida missionária na Comunidade Canção Nova’’.

Lili, como é carinhosamente chamada na Comunidade, relata que foi uma descoberta que fez ainda jovem, que o Pai foi lhe dando a graça de ir percebendo esse chamado, vendo as características, sentia que se encaixava na vida da Canção Nova. ”Um chamado profundo e íntimo de Deus para si”. 

Liliane Borges trabalha como jornalista em Portugal | Foto: arquivo pessoal

Liliane diz que o desafio que enfrentou, sobretudo, nessa caminhada missionária foi de deixar a família. “Quando se aprende a deixar os bens, a viver com o necessário de cada dia, você consegue se adequar às necessidades e novidades, mas deixar a família é sempre difícil’’, aborda. E diz que sempre na oração Deus fala, consola e anima para seguir em frente. ”Muitas vezes de modo velado, muito sutil, mas a graça de Deus opera dentro de nós e dos outros, ajudando-nos a manter no caminho, pois a recompensa não tem comparação com o que vivemos aqui. É o céu, a eternidade com Deus”.  

Assessoria de Comunicação
Santuário do Pai das Misericórdias