Igreja

O que é o Sacramento da Ordem?

Como falei no primeiro artigo desta série, na Igreja Católica o número de sacramentos são sete. Neste artigo, trataremos do sacramento da Ordem que com este já é o quinto que estamos aprendendo. O que é o Sacramento da Ordem? Para que serve? Quais os seus efeitos? Quem pode receber a esse sacramento? Você já parou para se fazer essas indagações? Então, a seguir, encontraremos respostas a essas perguntas durante a leitura do texto.

O que é o sacramento da Ordem?

O sacramento da Ordem está diretamente ligada à ação do Cristo em relação aos seus apóstolos. No Evangelho de Marcos, podemos ver o chamamento de Jesus: “Depois subiu à montanha e chamou a si os que Ele queria, e eles foram até ele. E constituiu Doze, para que ficassem com ele, para enviá-los a pregar e terem autoridade para expulsar demônios” (Mc 3,13-15). Aqui, nota-se o convite que Jesus faz juntamente com a incumbência de que esses homens, a partir daquele momento, terão.

Foto: Wesley Almeida – Canção Nova

No momento em que Jesus concede essa autoridade aos doze apóstolos, logo os envia para que exerçam o seu ministério no povo. Assim, o sacerdote é visto como alguém que é tirado do meio do povo e representa o povo na relação com Deus. Como diz, Bruno Forte: “Homem de fronteira, empenhado na contínua intercessão que em nome de Cristo Cabeça ele desenvolve entre os homens e Deus” (p. 92).

Para que serve?

Quando o Catecismo da Igreja Católica vai falar sobre o sacramento da Ordem, para o ingresso no corpo ordenado, ele afirma o seguinte: “A integração em um desses corpos da Igreja era feita por um rito chamado ordinatio, ato religioso e litúrgico que consistia numa consagração, numa bênção ou num sacramento (CIC 1538). O sinal visível desta consagração é a imposição das mãos do bispo, com a oração consecratória. Dessa forma, o sacramento da Ordem é responsável pela consagração do sacerdote.

“E tomou um pão, deu graças, partiu e deu-o a eles, dizendo. ‘Isto é o meu corpo que é dado por vós. Fazei isto em minha memória’” (Lc 22,19)

Os sacerdotes do Antigo Testamento são prefigurações do Sumo e eterno Sacerdote que é Cristo. Lá eles ofereciam animais pelos pecados do povo. Com Cristo, ele mesmo é oferecido uma única vez, por todos os pecados da humanidade. Jesus deixa ainda uma ordem dada aos seus ministros de continuar a sua missão, agora como “outros Cristos”, como verdadeiros sacerdotes: “E tomou um pão, deu graças, partiu e deu-o a eles, dizendo. ‘Isto é o meu corpo que é dado por vós. Fazei isto em minha memória’” (Lc 22,19). Dessa forma, o sacerdote, através do sacramento da ordem, é continuador da missão de Cristo. Eles permanecem oferecendo o corpo de Cristo pela salvação do povo.

Quem pode receber este sacramento?

É importante entender que o sacramento da Ordem é composto por três graus: o episcopado que são os bispos (nesse grau está a plenitude da ordem); os sacerdotes que são os colaboradores dos bispos nesta missão de santificar o povo; e os diáconos que são ordenados não para o sacerdócio, e sim para o serviço (cf. CIC 1569). Com isso,  pode-se notar que: esse sacramento só os homens podem receber. É o que o Catecismo, fazendo referência ao Código de Direito Canônico, chama de varão (“vir”). Isso escolhe de varões para o ministérios, está também ligada à escolha de Cristo. Nosso Senhor só chamou homens para formarem o colégio dos doze apóstolos (cf. CIC 1577).

Quais os seus efeitos?

Aos que recebem esse sacramento, recebem também uma marca indelével, ou seja, um caráter espiritual indelével. Os ordenados também recebem a graça própria do Espírito Santo, uma graça que é específica desse sacramento, a de configurar-se com Cristo Sacerdote Mestre e Pastor (cf. CIC 1585). Quanto aos diáconos, eles recebem a graça de servir o povo de Deus por meio da liturgia, da palavra e da caridade, em comunhão com o bispo e o seu presbitério.

Por fim, tomemos as palavras de São Paulo quando faz relação ao sacramento da Ordem e ao sacerdócio: “Por este motivo, eu exorto-te a reavivar o dom espiritual que Deus depositou em ti pela imposição das minhas mãos” (2Tm 1,6). Como batizados e membros do Corpo místico de Cristo, ajudemos também os sacerdotes na árdua e bela missão de santificar o povo de Deus.

Fábio Nunes 
Seminarista da Comunidade Canção Nova

Fontes:

BÍBLIA de Jerusalém. 5. ed. São Paulo: Paulus, 2008.

CATECISMO da Igreja Católica. São Paulo: Loyola, 2000.

FORTE, Bruno. Breve Introdução aos Sacramentos. Tradução Antonio Efro Feltrin. São Paulo: Paulinas, 2013.

Leia mais: 
:: Sacramento do Batismo
:: Sacramento da Unção dos Enfermos
:: Sacramento da Eucaristia