CONTAGEM REGRESSIVA

Por que a Festa do Pai das Misericórdias é celebrada na solenidade da Santíssima Trindade?

Aproximamo-nos de uma data muito significativa para a Igreja, com uma particularidade toda especial para a Canção Nova: a solenidade da Santíssima Trindade. Nesta data, comemora-se também a Festa do Santuário do Pai das Misericórdias, este ano com o tema “Eu e o Pai Somos Um!” (Jo 10,30). 

Deus, desde sempre, revelou Seu amor pelo homem. A própria criação do universo, do cosmo, deixa rastro desse amor. O universo existe em função do ser humano. Não dá para imaginar um mundo sem gente, um mundo formado apenas pela natureza, pelos astros, pelas estrelas e tudo o que há nele. O sentido de tal existência está em cada pessoa criada à imagem e semelhança de seu Criador. O homem é, por assim dizer, o coroamento e, ao mesmo tempo, o sentido de toda criação.

A criação é obra de Deus e disso não temos dúvida. Porém, descobrimos que Ele não é sozinho, não vive em uma solidão infinita, mas em comunhão de luz e amor com o Filho no Espírito Santo. Revela-se como Deus uno e Trino – “Eu e o Pai somos um!”. Tal mistério exige de nós não uma compreensão meramente racional, mas, em vez disso, contemplação. Diante de algo tão grande, a razão deve abaixar-se, dando lugar à contemplação. 

Santíssima Trindade, três pessoas que são um só Deus. O Pai é amor. O Filho é amor. O Espírito Santo é amor. Na Trindade, existe a comunhão mais perfeita. Relação sem confusão. Pensando no universo, a maneira como é formado, vemos que em tudo há relação. Desse modo, como afirma nosso querido Papa emérito Bento XVI, “num certo sentido, em tudo está gravado o nome da Santíssima Trindade, porque todo o ser, até as últimas partículas, é um em relação, e assim transparece o Deus-relação, transparece, por fim, o amor Criador. Tudo deriva do amor, tende para o amor e se move impelido pelo amor”.

São Paulo descreve: “Bendito seja o Deus e Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das Misericórdias e o Deus de toda consolação” (2 Cr 1,3). O Pai é a fonte da Trindade. O Pai gera o Filho, e a comunhão do Pai e do Filho gera o Espírito Santo.

Foto: Santuário do Pai das Misericórdias

Em cada Eucaristia, celebramos o mistério pascal de Jesus: Paixão, Morte e Ressurreição. Porém, vale recordar uma coisa muito importante: na maioria das vezes, as orações são dirigidas a Deus Pai por meio do Seu Filho, Jesus. “Tudo isso nós vos pedimos, oh Pai, por Cristo Nosso Senhor…”. Compreendendo que é do Pai que o Filho é gerado na comunhão do Espírito Santo.

Você pode perguntar-se: “Por que a Festa do Santuário do Pai das Misericórdias é celebrada nesse dia que, de fato, é a solenidade da Santíssima Trindade?”. Eu lhe explico. A primeira coisa a saber: o santuário é dedicado ao Pai. A Igreja, no decorrer do ano litúrgico, celebra memórias, festas e solenidades, em sua grande maioria recordando a vida ou o martírio dos santos, ou ainda, a dedicação de basílicas, como é o caso da Basílica de São Pedro. Dedica ainda solenidade ao Filho e ao Espírito Santo. Como, por exemplo, o Natal e a Páscoa, celebração da festa do Filho; Pentecostes, a festa do Espírito Santo. E não existe uma festa específica para o Pai. 

Se tivermos de falar em festa para o Pai, teremos que dizer da solenidade da Santíssima Trindade. Chegou-se a esse discernimento a partir da consulta feita ao nosso querido Dom Benedito Beni dos Santos. Atualmente, bispo emérito da diocese de Lorena. Uma vez que o Santuário é dedicado ao Pai, ele definiu como bispo da época, que o Santuário do Pai das Misericórdias deveria celebrar como festa essa data.

Destaco uma outra peculiaridade do nosso Santuário. Não se trata de uma devoção como em todos os outros santuários do mundo, mas sim, de uma espiritualidade. Ninguém pode ser devoto de Deus. A espiritualidade central do Santuário é o amor misericordioso de Deus pelos Seus filhos. A maior alegria do Pai é a conversão de cada filho que, estando longe, volta para sua casa novamente. 

Assim sendo, sabendo que Deus é amor e, portanto, fonte de toda misericórdia, a festa do Santuário é a festa do amor e da misericórdia. Amor e misericórdia sem limite do Pai por Seus filhos. Preparemo-nos para viver juntos esse grande dia, a festa do amor e da misericórdia do Pai. 

Pai das Misericórdias e Deus de toda consolação, ouvi-nos! 

 

Padre Elenildo Pereira
Assessor Pastoral da Reitoria do Santuário do Pai das Misericórdias