Rezemos para que não haja divisão em nossas famílias!

Nesta segunda-feira, 29 de Janeiro de 2018, o padre Bruno Costa fez a homilia da Santa Missa pelas famílias às 15h no Santuário do Pai das Misericórdias.

O sacerdote fala sobre o verdadeiro inimigo das nossas famílias: “O Senhor é aquele que vem sempre em nosso auxílio, é aquele que nos salva todos os dias, que nos tira das trevas para a luz. Nós somos filhos da luz. O nosso inimigo é um só: o inimigo de Deus. Ele quer roubar a nossa alma, daí a necessidade de estarmos alertas. Devemos assumir cada vez mais a nossa filiação, a nossa intimidade com Deus. O Senhor nos fez à sua imagem e semelhança. Somos sonhados por Deus. Jesus veio dar a vida em abundância. Nesta Santa Missa pelas famílias seja expulsa toda a divisão de nossos lares.”

 

O Evangelho é de São Marcos: “Naquele tempo, Jesus e seus discípulos chegaram à outra margem do mar, na região dos gerasenos. Logo que saiu da barca, um homem possuído por um espírito impuro, saindo de um cemitério, foi a seu encontro. Esse homem morava no meio dos túmulos e ninguém conseguia amarrá-lo, nem mesmo com correntes. Muitas vezes tinha sido amarrado com algemas e correntes, mas ele arrebentava as correntes e quebrava as algemas. E ninguém era capaz de dominá-lo. Dia e noite ele vagava entre os túmulos e pelos montes, gritando e ferindo-se com pedras. Vendo Jesus de longe, o endemoninhado correu, caiu de joelhos diante dele e gritou bem alto: “Que tens a ver comigo, Jesus, Filho do Deus altíssimo? Eu te conjuro por Deus, não me atormentes! Com efeito, Jesus lhe dizia: “Espírito impuro, sai desse homem!” Então Jesus perguntou: “Qual é o teu nome?” O homem respondeu: “Meu nome é ‘Legião’, porque somos muitos”. E pedia com insistência para que Jesus não o expulsasse da região. Havia aí perto uma grande manada de porcos, pastando na montanha. O espírito impuro suplicou, então: “Manda-nos para os porcos, para que entremos neles”. Jesus permitiu. Os espíritos impuros saíram do homem e entraram nos porcos. E toda a manada — mais ou menos uns dois mil porcos — atirou-se monte abaixo para dentro do mar, onde se afogou. Os homens que guardavam os porcos saíram correndo e espalharam a notícia na cidade e nos campos. E as pessoas foram ver o que havia acontecido. Elas foram até Jesus e viram o endemoninhado sentado, vestido e no seu perfeito juízo, aquele mesmo que antes estava possuído por Legião. E ficaram com medo. Os que tinham presenciado o fato explicaram-lhes o que havia acontecido com o endemoninhado e com os porcos. Então começaram a pedir que Jesus fosse embora da região deles. Enquanto Jesus entrava de novo na barca, o homem que tinha sido endemoninhado pediu-lhe que o deixasse ficar com ele. Jesus, porém, não permitiu. Entretanto, lhe disse: “Vai para casa, para junto dos teus e anuncia-lhes tudo o que o Senhor, em sua misericórdia, fez por ti”. E o homem foi embora e começou a pregar na Decápole tudo o que Jesus tinha feito por ele. E todos ficavam admirados”(Mc 5,1-20).

Padre Bruno Costa faz homilia na Santa Missa pelas famílias./ cancaonova.com

Assista a homilia na íntegra

Confira a liturgia do dia.

Pai das Misericórdias e Deus de toda consolação, ouvi-nos!